Hora de Fecho: “Tem de se mudar o mundo, como está não está bom” /premium

31 de Dezembro, 2018 0 Por Carlos Joaquim
Logo Observador

Hora de fecho

As principais notícias do dia
Boa tarde!
No dia em que fez 89 anos (“A minha ideia é passar os 100”) falou da nostalgia do Natal e da euforia da passagem de ano, mas também do amor e da vida. Entrevista ao psicanalista António Coimbra Matos.
A partir de dia 1 de janeiro de 2019 entra em vigor o novo regime para os trabalhadores independentes. Do pagamento de novas obrigações ao acesso a prestações sociais, conheça as principais mudanças.
Na base da paralisação, estão os “horários desumanos e desregulados”, a pressão e o assédio moral, a falta de condições de segurança, saúde, higiene e material de trabalho.
Os promotores consideram que precisam de mais tempo para decidirem se vão acusar, ou não, Carlos Ghosn, de uma suposta violação de confiança agravada que terá resultado em perdas de 1,85 mil milhões.
FC Porto começou a perder, mudou antes do intervalo, deu a volta e acabou em cima do Belenenses. Com isso, ganhou (2-1), apurou-se para a Final Four da Taça da Liga e fez (ainda mais) história.
Eurico de Barros foi ver as estreias que estão previstas para os primeiros meses do ano. Escolheu dez títulos que vamos querer ver e que chegarão aos cinemas portugueses entre Janeiro e Março.
É sempre bom ter companhia televisiva para a contagem decrescente… e para a ressaca de ano novo. Descubra aqui a lista com os melhores programas para estes dias, num total de 18 sugestões. 
Opinião
Alexandre Homem Cristo
Rui Rio registou-se nas redes sociais para comunicar sem a intermediação (que considera negativa) dos média. A única coisa que conseguiu foi confirmar que o problema está mesmo na sua mensagem.
Luís Rosa
Seguindo o legado dos ilusionistas Guterres e Sócrates, Costa transformou-se no Grande Elias do séc. XXI, prometendo o caminho da felicidade eterna com pouco esforço em troca da maioria absoluta.
João Carlos Espada
Os meus votos para 2019 são de re-descoberta das boas tradições demo-liberais fundadas na perpétua conversação civilizada entre perspectivas rivais, a “corrente de ouro” de que falava Churchill.
Helena Matos
No PREC os amanhãs cantavam. No PDC os amanhãs só querem voltar a ser ontens. No PDC, o “Capital” deu lugar ao “Ó Tempo Volta Para Trás/ traz-me tudo o que perdi” e assim “repor” é palavra de ordem.
João Marques de Almeida
Depois de três anos com tantos aliados, Belém, o Bloco, o PCP e os sindicatos, Costa não chegou aos valores da maioria absoluta. Como irá consegui-la com os aliados a transformarem-se em adversários?
MAGG
Marta Gonçalves Miranda
Há quem ache Alfama fedorenta, a LX Factory dececionante e o elétrico 28 um “verdadeiro programa de índio”. 
Mais pessoas vão gostar da Hora de fecho. Partilhe:

no Facebook no Twitter por e-mail

Leia as últimas

em observador.pt

ObservadorEleito melhor jornal generalista 2018

©2018 Observador On Time, S.A.
Rua João Saraiva, n. 7, Lisboa