Teatro Stephens | Concerto de Ano Novo abre programação de 2017

31 de Dezembro, 2016 0 Por Carlos Joaquim

Em janeiro, a Casa da Cultura Teatro Stephens apresenta concertos e teatro, abrindo o ciclo de programação do próximo ano com o Concerto de Ano Novo, no dia 7 de janeiro (sábado), pelas 16h00, cuja entrada é livre.
No próximo mês comemora-se mais um aniversário do 18 de janeiro de 1934, através do concerto do músico Pedro Abrunhosa, que já se encontra esgotado. O cartaz de espetáculos de janeiro encerra com a interpretação da peça “Sombras do Absurdo”, pelo Grupo de Teatro do Sport Operário Marinhense.
Estão também agendados concertos com Pedro e os Lobos, no dia 4 de fevereiro; Rita Redshoes, no dia 11 de março; e Luísa Sobral, a 22 de abril. Os bilhetes para estes espetáculos já estão à venda.
A programação já agendada para 2017 para o Teatro Stephens é a seguinte:
7 de janeiro . sábado . 16h00
CONCERTO DE ANO NOVO – ORQUESTRA JUVENIL DA MARINHA GRANDE
Sinopse |
Projeto abraçado pela Junta de Freguesia e Câmara Municipal da Marinha Grande, sob proposta do Maestro Ricardo Santos, a Orquestra Ligeira Juvenil da Marinha Grande é hoje parte integrante do panorama artístico marinhense e instrumento privilegiado para a produção e fruição cultural das crianças e jovens do concelho 
Iniciado o processo da sua fundação em 1995 tiveram início as aulas de formação musical e ensaios nos primeiros meses do ano de 1996, num espaço cedido para o efeito pela Sociedade Beneficência 1º de Janeiro onde teve lugar a primeira atuação da Orquestra Juvenil em 27 de novembro do ano seguinte.
Desde então, a Orquestra Juvenil e a sua Escola de Música não mais deixaram de assegurar, gratuitamente, formação musical a centenas de crianças e jovens da nossa terra alimentado, ao longo dos últimos 19 anos, a sua sede de conhecimento e aprendizagem.
Este é um projeto cuja vitalidade se reforça a cada atuação através de um reportório eclético que ultrapassa gerações, tratado com alegria e rigor pelos jovens músicos que, definindo ritmos e compassos quebram as barreiras entre o palco e a plateia.
Ficha Artística e Técnica
Direção | Maestro Ricardo Santos
Classificação Etária | M/3
Preço | Gratuito
    
18 de janeiro . quarta-feira. 21h30
PEDRO ABRUNHOSA & COMITÉ CAVIAR “CONTRAMÃO”| Espetáculo Comemorativo da Revolta Operária de 18 de janeiro de 1934
Sinopse |
“Para mim, um Disco é cada vez mais um Livro, uma narrativa contínua de histórias desencontradas que se reencontram na Música que escrevo, de personagens, por vezes atormentadas, outras felizes, de sentimentos de perda ou de conquista que acabam por ser comuns a muitos de nós. Falo de mim através das vozes de outros e transponho-me para os outros usando a minha própria voz. 
Ao longo de todo este tempo, diria quase desde que me conheço enquanto Músico, procurei melhorar a simplicidade daquilo que verdadeiramente me fascina: escrever Canções. O que aí vem é apenas isso. A minha Vida tornada palavra e harmonia. Se se encontrarem comigo neste trabalho, a minha tarefa estará cumprida e partirei para a estrada já com o próximo disco nas entranhas.”
Pedro Abrunhosa
Ficha Artística e Técnica
Pedro Abrunhosa & Comité Caviar
Classificação Etária | M/6
Preço | 20 euros (ESGOTADO)
As reservas para este espetáculo são válidas até ao dia 11 de janeiro de 2017. Em caso de não levantamento, os bilhetes serão disponibilizados aos demais interessados.
28 de janeiro . sábado . 21h30
GRUPO DE TEATRO DO SPORT OPERÁRIO MARINHENSE “SOMBRAS DO ABSURDO” uma Adaptação de obras de Karl Valentin
Sinopse |
Pressupomos que a nossa vida quotidiana é uma história totalmente absurda. Esta é a proposta colocada por Karl Valentin ao longo dos seus textos e é essa também a proposta em conta nos diversos caminhos desta viagem. 
Levando variadas situações para um universo quase que paralelo, entramos em cena, no espaço que gosto de baptizar como “o sótão da avó”. O desafio ao espectador é simples: no meio da confusão temos sombras de histórias, representadas pelos objectos que se vão amontoando, no meio destas há sempre uma que nos encanta. Qual será aquela que o irá encantar? 
Propondo aos actores que se deixassem embalar por este mundo, num curto espaço de tempo criamos personagens que tocam as pontas do expressionismo, respeitando o texto pontuado de sátira e bom humor, criando uma barafunda dentro daquilo que é o absurdo. 
Senhoras e senhores, meninas e meninos, aqui vos apresento as “Sombras do Absurdo”. 
Francisca Passos Vella (Maio / 2016)
Ficha Artística e Técnica |
Encenação – Francisca Passos Vella
Intérpretes – Adriana Vieira, Diana Carpinteiro, Ermelinda Silva, Fátima Bonifácio, Isabel Ferreira, Ivo Bento,  Jorge Elói,  Jorge Pina, José Simão, Nuno Tavares, Sandra Correia, Telma Filipe
Assistência de Encenação – Sandra Martinho
Produção Executiva – Fátima Bonifácio / Isabel Ferreira
Desenho de Luz – Francisca Passos Vella e Guto Silveira
Cenografia/ Figurinos – Fátima Bonifácio, Francisca Passos Vella, Isabel Ferreira
Caracterização – Francisca Passos Vella
Cartaz – José Nobre
Secretariado – Ana Pedro
Apoio Geral – Natália Rosa
Classificação Etária | M/12
Preço | 5 euros
4 de fevereiro . sábado . 21h30
PEDRO E OS LOBOS & A JIGSAW 
Sinopse | 
Esta é a junção de duas bandas que se complementam na estrada, “A Jigsaw” e “Pedro e Os Lobos”.
O tema “Volta à Morte”, incluído no EP de Pedro e Os Lobos foi o rastilho desta colaboração que passou já por muito palcos de Norte a Sul.
Os “A Jigsaw”, formados por Jorri e João Rui e recomendados pela revista francesa Les Inrockuptibles, têm um novo disco, “No True Magic”, em que as raízes continuam a ser Folk, o Blues, a literatura e um conceito: “a imortalidade”. Depois da “perda da inocência” e da “construção da identidade”, os a Jigsaw falam-nos agora da aceitação dos termos da nossa mortalidade.
Pedro e os Lobos é o projeto do músico e compositor Pedro Galhoz que tem um novo disco, “Este chão que pisamos”, para o qual o artista convidou músicos que admira e com os quais sonhava um dia colaborar. A paixão pelas guitarras, o gosto pela simplicidade e a interpretação de paisagens revestindo-as de cor musical resultam num conjunto de faixas que entrelaçam o clássico com o contemporâneo.
Esta experiência consiste no encontro de duas bandas que seguiram diferentes caminhos sem nunca perderem de vista um possível momento em que os seus caminhos se poderiam cruzar e vir a dar frutos. Num só palco, duas bandas, dois discos e a colaboração entre eles.
Preço | 8€
11 de março . sábado . 21h30
RITA REDSHOES
Sinopse | 
Rita Redshoes iniciou o seu percurso como baterista num grupo de teatro de escola, passou por inúmeros projetos musicais como autora e intérprete, onde tocou muitos instrumentos e gravou vários discos (Atomic Bees, Photographs, Rebel Red Dog, David Fonseca, The Legendary Tigerman, Noiserv). Tem também colaborado em inúmeras bandas sonoras premiadas para teatro e cinema, tendo, inclusivamente, discos editados nesta área.
Recentemente tocou no lendário Joe’s Pub, em Nova Iorque e apresentou também em Nova Iorque, no MoMA, e posteriormente em Berlim, a banda sonora original do documentário “Portugueses no Soho”, de Ana Ventura Miranda.
Em 2016, depois de “Golden Era” (2008), “Lights & Darks” (2010) e de “Life is a Second of Love” (2014), Rita Redshoes rumou em Junho a Berlim, onde gravou o seu quarto álbum de estúdio.
O novo registo discográfico, “Her”, contou com a produção de Victor Van Vugt, produtor do seminal disco de Nick Cave, “Murder Ballads” e do disco de Beth Orton, “Trailer Park”, vencedor do prestigiado Mercury Prize. O produtor australiano já trabalhou também com artistas tão diversos como P.J.Harvey, Depeche Mode, The Fall, Billy Bragg ou Einsturzende Neubauten, entre outros.
Para além de ser o álbum em que a artista mais instrumentos tocou (piano, omnichord, teclados e guitarra acústica) é também o trabalho em que Rita Redshoes escreve e interpreta, pela primeira vez a solo, três temas em português, um dos quais em co-autoria com Pedro da Silva Martins.
Preço | 12,50€
22 de abril . sábado . 21h30
LUÍSA SOBRAL
Sinopse | 
“Luísa” é o quarto álbum de originais de Luísa Sobral, editado em 2016 e agora apresentado ao vivo. Neste disco estreitam-se a cumplicidade e os laços afetivos com quem ouve, em novas canções e letras tocantes, que a colocam num novo patamar de maturidade criativa: ainda mais segura, exigente, autêntica e espontânea. Foi gravado em Los Angeles, no mítico United Recording Studios, por onde já passaram nomes históricos como Frank Sinatra, Ray Charles, Ella Fitzgerald, Jay-Z, Radiohead ou U2. Ao leme da produção esteve Joe Henry, vencedor de 3 Grammy Awards, que para além de uma sólida carreira em nome próprio assina trabalhos de músicos como Elvis Costello, Solomon Burke, Beck ou Madonna.
Após ter vivido por 4 anos nos EUA, Luísa Sobral estreou-se em 2011 com a edição de “The Cherry on My Cake”, um álbum bem recebido pelo público e pela crítica. Seguiu-se “There’s A Flower In My Bedroom” (2013), com 17 canções e prestigiados convidados, como Jamie Cullum e os portugueses António Zambujo e Mário Laginha. A sua discografia conta ainda com “Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa”, editado em 2014, que expande o seu universo para fora dos limites estéticos dos seus dois primeiros discos.
Foram sobretudo os espetáculos e as participações televisivas especiais, como a que assegurou no programa de Jools Holland, na BBC, que impulsionaram o seu percurso dentro e além-fronteiras. Espanha, França, Suíça, Alemanha, Inglaterra, Marrocos, China, Zimbabwe e África do Sul já figuram entre as suas escalas. Em 2017, Luísa Sobral volta a percorrer o país, agora com novas canções. Em palco, está em casa. E tem a amabilidade generosa de nos convidar a visitá-la. E de nos fazer sentir em casa.
Preço | 12,50€
Reservas: teatro.stephens@cm-mgrande.pt ou telefone 244573377.
Bilheteira: Teatro Stephens, de terça-feira a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, nos dias de espetáculos das 18h00 às 22h00.