ELEVADA PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO, OBESIDADE E DIABETES EM PORTUGAL

30/05/2017 0 Por Carlos Joaquim
Resultado de imagem para ELEVADA PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO, OBESIDADE E DIABETES EM PORTUGALO primeiro Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF), hoje apresentado no Porto, revelou uma elevada prevalência de algumas doenças crónicas como a hipertensão arterial (38%), a obesidade (28,7%) e a diabetes (9,8%).
O estudo, relativo a 2015, constatou também que 67,6% da população tinha excesso de peso ou obesidade e 52,3% tinha alteração dos lípidos do sangue (colesterol alto), valor que aumentava para 63,3% ao incluir nesta estimativa a população que referiu tomar medicamentos para controlar esta condição.
O INSEF é um estudo epidemiológico observacional, transversal de base populacional, programado e realizado para ser representativo ao nível regional e nacional, com o objetivo e contribuir para melhorar a saúde pública e reduzir as desigualdades em saúde.
O inquérito surgiu na sequência da participação de Portugal, através do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA, IP), em projetos de investigação e ações conjuntas com outros países Europeus, financiados pela União Europeia.
A população alvo consistiu nos indivíduos entre os 25 e os 74 anos de idade, residentes em Portugal continental ou regiões autónomas há mais de 12 meses. O trabalho de campo decorreu entre fevereiro e dezembro de 2015 em 49 locais de observação (PSU) e foi realizado por equipas constituídas por um total de 117 profissionais. Ao todo foram selecionados aleatoriamente para o INSEF 12.289 indivíduos, tendo-se obtido no final uma amostra com 4.911 participantes (2,265 homens e 2.646 mulheres), para os quais os procedimentos do INSEF (exame físico, colheita de sangue e entrevista) foram concretizados na íntegra.
A informação obtida pelo primeiro INSEF é representativa da população portuguesa a nível nacional e de cada uma das suas sete regiões, tendo sido utilizados os métodos preconizados pelo European Health Examination Survey (EHES)
Fonte:Notícias/Lusa