Luxemburgo| Covid19: Situação é “alarmante e muito grave”, considera ministra da Saúde

21/10/2020 0 Por Carlos Joaquim

O aumento de casos de novas infecções por Covid19 no Luxemburgo está a deixar o país em alerta máximo, com a ministra da Saúde, Paulette Lenert, a considerar a situação actual como “alarmante e muito grave”.

Só nas últimas 24 horas foram registados 416 novos casos de infecção (o número mais elevado desde o início da pandemia) e 2 vítimas mortais, elevando para um total de 138 mortes e 11.671 casos de infecção por Covid-19, desde que foi conhecido o primeiro caso no país no final de fevereiro de 2020.
A SITUAÇÃO É ALARMANTE E MUITO PREOCUPANTE E O RISCO DA INFECÇÃO ESTÁ A AUMENTAR ENTRE NÓS. CONTO COM CADA UM DE VOCÊS PARA COMBATER A EPIDEMIA”, APELOU A MINISTRA PAULETTE LENERT, ESTA TARDE, EM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA.
Na última semana, de 12 a 18 de outubro, o número de novas infecções aumentou cerca de 50% face à semana precedente, sendo registados 1.280 novos casos nos últimos sete dias contra os 805 da semana anterior.
A maioria dos casos de novas infecções surgiram em contexto familiar, revelou Paulette Lenert.
“NÃO HÁ CLUSTERS OU CADEIAS DE INFECÇÃO PARTICULARES, 31% DAS INFECÇÕES SURGIRAM EM CONTEXTO FAMILIAR”, DISSE.
“Se testarem positivo entrem imediatamente em quarentena e falem com todas as pessoas com quem contactaram. Facilitem o nosso trabalho de rastreamento de contactos e ajudem a combater a epidemia”, apelou a ministra da tutela.
Apesar da situação galopante no país, Paulette Lenert garantiu que os hospitais luxemburgueses “não estão em situação crítica” e que “continuam a responder bem” às solicitações.
A ministra voltou a apelar à “prudência” e à “responsabilidade” de todos no respeitos das regras em vigor no combate à pandemia do Covid19.
“Fiquem em casa o máximo de tempo possível”, exortou.
Ainda no sábado, em conferência de imprensa, o primeiro-ministro Xavier Bettel tinha sido taxativo, ao dizer que a evolução da pandemia durante esta semana iria “determinar a evolução da situação” no país, para tomar novas medidas restritivas.

Fonte: LUX24