ELEMENTAR, CARO IVEREIGH”

ELEMENTAR, CARO IVEREIGH”

16/05/2020 0 Por Carlos Joaquim
Watson (à esq.) e Sherlock Holmes | 
Por José Antonio Ureta –  
Nem todo mundo nasce com o talento de Sherlock Holmes nem com sua lógica inexorável. Certamente o Sr. Austen Ivereigh não foi beneficiado por esses dons de seu ilustre compatriota. Ele não pode dizer de si mesmo o que Conan Doyle [foto ao lado] coloca nos lábios de seu personagem: “Eu sou um cérebro, Watson. O resto de mim é um simples apêndice.”
Arthur Conan Doyle (1859–1930), criador do Sherlock Holmes e do Dr Watson (Foto de 1914)
Em um tweet de 8 de maio, referindo-se ao documento do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, intitulado A maior operação de engenharia social e de baldeação ideológica da História, ele escreveu o seguinte:
“Portanto, essa é a fonte da petição paranoica de Viganò, assinada por Müller e apoiada por Sarah. A TFP também foi a fonte do medo da ‘Pachamama’ durante o Sínodo. Confirmando mais uma vez que esses integristas e tradicionalistas brasileiros influenciam também os cardeais.”
Ao que se seguiu um segundo tweet:
“Oh! TFP é quem organiza protestos homofóbicos, perseguindo (por exemplo) @JamesMartinSJ ao fazer discursos nas paróquias.”
Que o jovem Alexander Tschugguel, após seu beau geste de lançar as estatuetas da Pachamama no rio Tibre, tenha feito sua primeira conferência americana na sede da TFP em Washington e dito que Revolução e Contra-Revolução foi o livro que mais o inspirou após sua conversão, não significa que a TFP foi a fonte de seu empreendimento, cujo mérito deve ser atribuído inteiramente ao seu fervor católico militante.
De fato, se o Sr. Ivereigh — que além de ser jornalista ensina no curso de História da Igreja contemporânea em Oxford — tivesse seguido as regras de sua profissão, deveria ter prestado mais atenção às declarações do próprio jovem austríaco. Este explicou repetidamente que havia decidido remover os ídolos exibidos na igreja de Santa Maria em Traspontina devido à indignação que teve ao conversar com militantes da Rede Pan-Amazônica e após consultar um padre amigo.
Da TFP, o Sr. Ivereigh poderia ter citado os numerosos artigos solidamente documentados e publicados anteriormente ao Sínodo Pan-Amazônico, alertando sobre a penetração de cultos e crenças pagãs na chamada Teologia Índia, cujos expoentes mais destacados foram nomeados pelo Papa Francisco consultores do evento. Mas, provavelmente, não se deu ao trabalho de lê-los.