Marinha Grande, Capital do Jazz

Marinha Grande, Capital do Jazz

02/11/2019 0 Por Carlos Joaquim
A Marinha Grande vai receber concertos de jazz, de 15 a 23 de novembro, na Casa da Cultura Teatro Stephens, no âmbito do 5º Festival Jazz da Marinha Grande e da candidatura CIMRL Região de Leiria Rede Cultural.
A programação volta a ser de elevada qualidade, com artistas nacionais e internacionais de várias gerações, a apresentarem os seus projetos de jazz num evento que volta a ter a direção artística do maestro e músico César Cardoso.
A presidente da Câmara, Cidália Ferreira, destaca que “em todas as edições do Festival temos procurado apresentar um cartaz diversificado, com artistas nacionais e internacionais, proporcionando ao público concertos cuja qualidade nem sempre é possível presenciar na nossa região. Complementamos a programação do Festival com dois concertos integrados na candidatura CIMRL Região de Leiria Rede Cultural, o que muito nos honra”.
A programação “abrange diversos estilos de Jazz e músicos de diferentes gerações, com o propósito de divulgar este género musical que atrai um número crescente de público. Estou convicta que a aposta do Município da Marinha Grande neste evento, permite diversificar a oferta cultural e sedimentar público para o Jazz na região”, continua.
Cidália Ferreira admite que “somos um concelho com cada vez mais jovens a interessarem-se por este estilo musical e a prosseguirem os seus estudos na área. Organizar um Festival de Jazz, dá-nos a responsabilidade de apresentar um evento de qualidade, com cada vez mais espectadores, sejam eles meros curiosos, fãs ou críticos conhecedores.
A programação é a seguinte:
Casa da Cultura Teatro Stephens
15 de novembro . 21h30
5º Festival Jazz da Marinha Grande
JULIAN ARGÜELLES e MÁRIO LAGINHA
Com raízes nas várias tradições dos seus membros, mas notoriamente moderna, a música deste Duo segue o seu próprio ritmo subtil; é episódica, repleta de pequenos prazeres de exploração que espelha o modus operandi destes dois grandes instrumentistas. Os ritmos sincopados e a improvisação criativa do pianista português Mário Laginha e do saxofonista britânico Julian Arguelles concretizam uma mistura que remete para um euro-jazz contemporâneo, com influências de vários estilos que vão do fado, à folk, passando também pela musica clássica.