Mundo | Renamo viola Acordo de Paz e Reconciliação e condiciona paz definitiva às Eleições Gerais

Mundo | Renamo viola Acordo de Paz e Reconciliação e condiciona paz definitiva às Eleições Gerais

23 de Agosto, 2019 0 Por Carlos Joaquim
A partir desta quinta-feira (22) o partido Renamo está a violar o Acordo de Paz e Reconciliação com a existência da sua auto-proclamada “Junta Militar” que, tal como todas as suas bases, deveria ter sido desmantelada ao abrigo do documento assinado por Filipe Nyusi e Ossufo Momade no passado dia 6 de Agosto. Para perigar ainda mais a paz em Moçambique a chefe da bancada parlamentar do maior partido de oposição condicionou o sucesso do Acordo a “integridade, liberdade, justiça e transparência com que forem realizadas as próximas Eleições Gerais”.
A existência de um número não conhecido de militares que ainda não entregou as armas na sua posse e está agrupado na auto-proclamada “Junta Militar da Renamo” é uma violação ao terceiro acordo assinada para a paz em Moçambique que no seu número 5 estabelece que: “O desmantelamento das bases e posições relacionadas com as hostilidades militares deve ser feito em conformidade com o previsto no Memorado de Entendimento sobre Assuntos Militares e concluído, até 21 de Agosto do presente ano.” Aliás dos 5.221 guerrilheiros que devem entregar as suas armas para serem desmobilizados e reintegrados publicamente só quatro o fizeram no passado dia 29 de Julho.