PAN Aveiro aponta falta de estratégia para os transportes colectivos

PAN Aveiro aponta falta de estratégia para os transportes colectivos

5 de Maio, 2019 0 Por Carlos Joaquim
Entrou em vigor no passado 1 de Maio o Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) na Região de Aveiro. Esta medida, lançada pelo governo para as duas Áreas Metropolitanas e para as várias Comunidades Intermunicipais do país, é positiva a vários níveis, nomeadamente em termos ambientais, sociais e económicos, destacando-se pelo objectivo de transferir viagens realizadas em automóvel próprio para meios de transporte colectivos.
Relativamente à implementação do PART na Região de Aveiro, há primeiro que lamentar o atraso na implementação deste programa a nível local, o qual teve início apenas um mês depois do seu lançamento nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto1. Os dados apontam já para um aumento superior a 30% dos passes vendidos na AM de Lisboa relativamente ao mês homólogo e para 18% mais passageiros no Metro do Porto face ao mês anterior2.
Os descontos aplicados na Região de Aveiro destacam-se por apenas abrangerem passes intermunicipais, inter-regionais com a CIM Região de Coimbra e no Município de Aveiro. Conclui-se assim que a oferta de transportes públicos urbanos e intra-municipais nos restantes concelhos da região é inexistente ou alvo de discriminação negativa por parte da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA).
Não existe qualquer estratégia de simplificação tarifária por parte do Município de Aveiro ou da CIRA, de forma a atrair mais passageiros para os transportes colectivos. Veja-se o exemplo da AM de Lisboa, em que com o mesmo passe Navegante Metropolitano (40 €) é possível viajar por todos os 18 municípios da AML e em todos serviços de transporte público (comboio, autocarro, barco, eléctrico, metro, etc.)3. Na região de Aveiro, os passes dos utilizadores estão restringidos a percursos fixos ou zonas limitadas, e quem quiser utilizar, por exemplo, comboio e autocarro nas suas deslocações, tem de adquirir 2 passes diferentes, com distintos sistemas de bilhética e sem qualquer desconto pelo conjunto.

Em Aveiro não existe também o passe familiar, que permita a um agregado familiar pagar um valor mais apelativo pela totalidade dos elementos que o constituem, nem sequer isenções até aos 12 anos de idade como acontece por exemplo em Lisboa.