CÂNCIO ESTÁ A TENTAR IMPEDIR VENDA DO LIVRO “PROIBIDO” DE JOSÉ ANTÓNIO SARAIVA

30 de Setembro, 2016 0 Por Carlos Joaquim


30 Setembro, 2016 por 
(dr) Jorge Paula / Correio da Manhã

A jornalista Fernanda Câncio
A jornalista Fernanda Câncio avançou com uma providência cautelar na justiça com o intuito de retirar o polémico livro de José António Saraiva “Eu e os políticos” das bancas.
Segundo o Correio da Manhã, foi o próprio autor da obra, que faz revelações sobre a vida sexual de várias figuras públicas, incluindo diversos políticos e a própria Fernanda Câncio, quem o divulgou em entrevista à CMTV.
“Tive conhecimento esta quarta-feira à noite de que a jornalista Fernanda Câncio interpôs uma providência cautelar para retirar o livro de venda”, adiantou Saraiva à CMTV.
Câncio já teceu críticas ao livro do ex-director do Sol e do Expresso, considerando que a obra de Saraiva faz a “devassa gratuita da intimidade, sem outro objectivo que não o de devassar, ferir e lucrar com isso.
A jornalista é uma das personalidades visadas no livro, já apelidado de “Saraivaleaks” pela polémica que suscitou e pelo teor das revelações íntimas que faz.
Passos Coelho, que devia ter apresentado a obra, desistiu mesmo de o fazer, após o tumulto gerado.
Saraiva conta que conheceu Câncio quando ela estagiou no Expresso e que o seu então namorado, Abílio Leitão, que era “copy desk” no semanário, tinha “um fetiche pela fotografia e dedicava-se a tirarfotografias das relações com a namorada“.
Leitão “não tinha o cuidado de esconder as fotos, deixando-as a revelar em cima dos móveis”, transcreve o Observador.
Comentando as referências a Câncio, Saraiva diz na CMTV que demonstram “uma conduta bastante livre e a relevância é ela ter sido namorada de um ex-primeiro-ministro”.
A jornalista namorou com José Sócrates, circunstância que já a levou a vir a público defender-se, numartigo polémico na revista Visão.
O ex-director de Sol e Expresso ainda garantiu no mesmo canal que o livro “não é um exercício de ódio nem de vingança”, garantindo que até tem mais informações sobre todos os visados do que as que revela no livro – e que nunca as divulgará.
ZAP