Fôlego: PLANTA PARTY (Música / Festa) 19/08, 17h-20h @ Jardim Municipal de Oleiros

Fôlego: PLANTA PARTY (Música / Festa) 19/08, 17h-20h @ Jardim Municipal de Oleiros

10/08/2022 0 Por Carlos Joaquim

O Jardim Municipal de Oleiros recebe no dia 19 de agosto a terceira edição da “Planta Party” no Fôlego – ciclo de festas com música onde por cada bebida consumida no bar, uma árvore é plantada numa área ardida do concelho. O evento terá como convidada musical A DJ Susana Pereira, “A Minha Vida Dava Uma Banda Sonora”, que animará a tarde com sonoridades festivas e tropicais, alusivas ao verão.

Na passagem pela praia Fluvial da Aldeia Ruiva, em Proença-a-Nova, em junho, a iniciativa contabilizou um total de 560 árvores, que serão plantadas na época baixa, numa região ardida do concelho. Na passagem pela Praia Fluvial do Bostelim, em julho, a Planta Party angariou um total de 183 árvores.

Entre Junho de 2022 e Março de 2023, o Fôlego promoverá uma Planta Party em cada município do seu território – Mação, Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã e Vila de Rei – e a plantação das árvores será realizada após a festa, na época da plantação (Inverno), pela equipa e voluntários locais mobilizados pelo projeto, numa colaboração estreita com o município.

Planta Party é um evento-assinatura da associação cultural Safari @safari.producoes que visa converter a energia do público e a força das artes em ganhos concretos para o ambiente. Em 2020, o projeto garantiu a plantação de 1.000 árvores no Parque Natural Sintra-Cascais como resultado de três festas (Janeiro, Fevereiro e Março), numa parceria com a Câmara Municipal de Cascais.

Neste ciclo do Fôlego, as festas Planta Party saem pela primeira vez de ao pé do mar e reinventam-se no interior do país, em praias fluviais e espaços verdes, em tardes que prometem música e banhos de sol, a reverter em favor do clima e da paisagem.

MAIS SOBRE O FÔLEGO

O FÔLEGO – programa cultural movido pelo combate às alterações climáticas em Mação, Sertã, Oleiros, Proença-a-Nova e Vila de Rei – avança no Centro de Portugal.

O nome “FÔLEGO” surge da associação do território ao fogo – mas também ao ar, necessário à combustão e à vida – e o programa convida à imersão no património natural por via das artes, apelando à mobilização local, nacional e internacional pela mitigação da crise climática. O FÔLEGO atuará no território entre 2021 e o verão de 2023.

Privilegiando o envolvimento da comunidade local em torno de um futuro saudável e consciente, o FÔLEGO terá uma programação cruzada entre áreas artísticas: artes plásticas, dança, fotografia, música, novo-circo, novos media e teatro. Terá como eixo principal a arte participativa e comunitária, em relação próxima com as populações, promovendo a mobilidade de públicos e artistas locais, nacionais e internacionais.

Selecionado para financiamento no quadro EEA Grants, Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu, o projeto é promovido pela Academia de Produtores Culturais, em parceria com Mapa das Ideias, H2Dance e Heidi Ruustgard (Noruega), Universidade da Islândia, Associação Pinhal Maior e os cinco municípios – Mação, Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã, Vila-de-Rei – atuando num esforço coordenado entre dezenas de instituições locais, nacionais e internacionais, de caráter governamental e não-governamental.

O FÔLEGO aliará as artes, a ciência e o ambiente, trabalhando a problemática do clima em várias frentes – não apenas numa abordagem conceptual e artística, mas também pela sensibilização e envolvimento da comunidade em ações concretas no sentido da mitigação e adaptação aos efeitos da crise climática.

OUTROS HIGHLIGHTS DO PROGRAMA (2022)

VILAS MUTANTES” (dança, música, comunidade)

Trabalho sobre memórias e reações ao fogo, saberes e inquietações da comunidade pela coreógrafa Alice Duarte e o músico Alexandre Moniz, com uma residência artística por município.

T5 (música)

Entre maio e setembro de 2022, no terceiro sábado de cada mês, o FÔLEGO convida um artista local a tocar num concelho vizinho, nesta grande casa (T5) de cinco municípios que forma o território do FÔLEGO. O próximo acontece dia 18/06 no Centro Geodésico em Vila de Rei.

Fernando Mota criará instrumentos musicais a partir de galhos de árvores

MIGRANTES CLIMÁTICOS”

Projeto de criação sobre as memórias das populações migrantes no local pela companhia Teatro O Bando

WORKSHOPS, VIDEOMAPPING, etc etc.

Programa e mais info: http://www.folego.pt/

Redes sociais: facebook.com/folegoaceso / @folegoaceso