Ciência | Estudo revela associação positiva entre o gene FTO e obesidade abdominal em meninas. A atividade física não modificou o efeito do gene em crianças

Ciência | Estudo revela associação positiva entre o gene FTO e obesidade abdominal em meninas. A atividade física não modificou o efeito do gene em crianças

09/09/2019 0 Por Carlos Joaquim
«Existe uma associação forte e significativa entre o polimorfismo de nucleótido simples (SNP) rs9939609 T/A do gene associado à obesidade FTO (fat mass and obesity-associated gene) e o risco de obesidade abdominal em meninas mas não em meninos», conclui um estudo publicado no American Journal of Human Biology. Esta associação positiva nas meninas é muito problemática devido ao risco da obesidade abdominal para a saúde.
A investigação foi realizada por uma equipa do Centro de Investigação em Antropologia e Saúde (CIAS) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), no âmbito de um projeto sobre “Desigualdades na obesidade infantil: o impacto da crise económica em Portugal de 2009 a 2015”, coordenado por Cristina Padez, e cofinanciado pelo programa “COMPETE 2020, Portugal 2020” e pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).
No estudo agora publicado, a amostra foi constituída por 440 crianças portuguesas (213 meninas e 227 meninos), com idades compreendidas entre os 3 e os 11 anos, de várias escolas públicas da região Centro do país.