Islândia não pode ter tantos turistas. Por isso, quer cobrar imposto

17/03/2017 0 Por Carlos Joaquim

Um dos países mais recheados de maravilhas naturais em todo o mundo está a preparar-se para fazer face a um inesperado aumento do número de visitantes.

A Islândia já é um dos destinos turísticos mais caros do mundo, pelos voos pouco frequentes e pelo elevado custo de vida, mas os preços ainda não são suficientemente altos para controlar o volume de turistas.
Com uma população minúscula – cerca de 340 mil pessoas – a ilha do Norte da Europa está a ter cada vez mais dificuldades para lidar com os mais de 2,3 milhões de turistas que chegam todos os anos e existe uma preocupação crescente com o efeito dos visitantes nas maravilhas naturais do país.
Nos últimos seis anos, o interesse na Islândia disparou devido à gravação de várias cenas da série ‘Guerra dos Tronos’ no país e devido a uma queda do valor da coroa islandesa, que tornou os preços mais comportáveis para estrangeiros.
“Temos de ter cuidado para não sermos vítimas do nosso próprio sucesso”, disse Thordis Kolbrun Reykfjord Gylfadottir, a ministra do Turismo da Islândia, em declarações citadas pela Bloomberg, antes de pedir aos colegas do governo para serem “corajosos” e apostarem num imposto que permita controlar o fluxo de visitantes.
“Algumas zonas são simplesmente incapazes de receber um milhão de visitantes por ano. Se deixarmos as pessoas visitarem esses sítios, estamos a perder o que os torna especiais – serem pérolas únicas da natureza que são uma parte crucial da nossa imagem e o que estamos a vender.”
Ainda não foi decidido o imposto a aplicar, mas segundo a Bloomberg, há várias opções em cima da mesa: aumentar o atual imposto cobrado a quem dormir em hotéis, forçar as companhias de transporte turístico a pagar uma licença especial de matrícula ou até ressuscitar a ideia do anterior governo de vender um ‘passe de natureza’ obrigatório a cada turista por cerca de 13 euros.
Fonte: Notícias ao minuto
Foto: