E se o Governo lhe pagasse 100 euros para dar boleia?

17/12/2022 0 Por Carlos Joaquim

 França vai avançar com bónus em 2023. Fique a saber como é que o Governo francês vai executar este plano.

Menos poluição, menos engarrafamentos e mais poupança. Estas são algumas das vantagens apresentadas pelo Governo francês, que pretende incentivar a população a apostar em “boleias solidárias” (covoiturage) . Em 2023 vai entrar em vigor o plano nacional de boleias diárias, com o qual os motoristas franceses conseguirão receber um bónus de 100 euros.
O plano do Executivo francês foi concebido em 2019, mas acabou por ser adiado pela pandemia. Será aplicado a partir do dia 1 de janeiro e estão elegíveis para o bónus de 100 euros condutores que se inscreverem pela primeira vez em plataformas de “carpooling”, enumeradas no site do Governo.
O Executivo gaulês está a apostar nas viagens locais, de curta distância, isto é, até aos 80 quilómetros.
O bónus é pago pelas plataformas de “carpooling” de forma progressiva. Realizada a primeira viagem, o motorista irá receber 25 euros e 75 euros adicionais se nove viagens forem concluídas dentro de três meses.
Os valores mínimos serão pagos diretamente pelas plataformas de “carpooling”, que definirão os detalhes.
As viagens mais longas que são requeridas também são incentivadas e correspondem a um bónus de 100 euros, acumulável, para os novos inscritos que concluam três viagens.
Para os condutores que não queiram receber o bónus em dinheiro, poderão optar por vouchers.
O Ministério da Transição Energética e dos Transportes entende que este plano reduz o tráfego, a poluição e é uma resposta ao aumento dos preços dos combustíveis.
#Covoiturage | Bon pour le climat et le pouvoir d’achat, nous voulons tripler le nombre de trajets quotidiens réalisés en covoiturage !
A partir de janvier, un coup de pouce de 100€ pour tout nouvel utilisateur d’une plateforme de covoiturage. pic.twitter.com/1SP26x8In2
— Agnès Pannier-Runacher 🇫🇷🇪🇺 (@AgnesRunacher) December 13, 2022
QUAIS AS METAS DO GOVERNO FRANCÊS?
O Governo francês estima que cerca de 100 milhões de viagens são feitas diariamente de carro, quer para o trabalho, escola ou idas às compras. No que diz respeito às deslocações entre casa e trabalho, sabe-se que mais de oito em cada 10 viagens são feitas sem passageiros.
De acordo com os cálculos do Governo, “um funcionário que viva a 30 quilómetros do trabalho e que dê boleias diariamente pode economizar cerca de 2 mil euros por ano”.
As três grandes metas são:
Reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, tendo em conta que uma viagem partilhada ajuda a poupar seis quilos de CO2, em média;
Reduzir o engarrafamento nas grandes cidades;
Permitir aos franceses uma poupança de combustível ao apostar em boleias.
O Ministério dos Transportes francês pretende chegar a três milhões de boleias solidárias diárias, ao invés das 900 mil atuais em cinco anos. Isto representaria 4,5 milhões de toneladas de CO2 a menos, num ano, ou 1% das emissões anuais de gases de efeito de estufa de França.
Este plano vai custar cerca de 150 milhões de euros.
SIC Notícias