MUNICÍPIO DA COVILHÃ REDUZ PASSIVO EM 4,4 MILHÕES

MUNICÍPIO DA COVILHÃ REDUZ PASSIVO EM 4,4 MILHÕES

01/05/2022 0 Por Carlos Joaquim
O Município da Covilhã apresentou as contas de Gerência de 2021 com um grau de execução de 86%. Trata-se da maior taxa de execução registada pela autarquia neste século.
Para o Presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, «esta é a resposta a todos os que apregoaram que o orçamento para 2021 estava empolado. Acresce ainda que a presente taxa só não apresenta um valor mais elevado devido aos atrasos na execução dos fundos comunitários do Portugal 2020».
Quanto ao passivo, o executivo garantiu uma redução superior a 4,4 milhões de euros em 2021, ficando atualmente cifrado em 42,1 milhões.
Acompanhando a evolução dos números, em 2020 o passivo exigível era de cerca de 32,1 milhões de euros, registando no final de 2021 um valor de 27,2 milhões, ou seja, trata-se de uma redução do passivo exigível de 4,9 milhões.
O Município da Covilhã apresenta uma liquidez positiva, ou seja, tem disponibilidades para suportar as suas obrigações de curto prazo.
Um rácio a realçar é o prazo médio de pagamento isto porque o município da Covilhã tem conseguido liquidar as suas obrigações num prazo bastante reduzido (4 dias).
Após a revelação deste exercício financeiro, o autarca sublinhou tratar-se de «um resultado de uma política responsável que tem sido trilhada por este executivo, tendo em vista devolver o município à sustentabilidade financeira». Vítor Pereira afirmou ainda que «a boa saúde financeira do município permitiu apoiar os serviços de saúde, instituições e famílias, durante o grave período da pandemia» o autarca reiterou ainda
que «não nos desviaremos do rumo que definimos e continuaremos a procurar a recuperação financeira do Município da Covilhã e a responder às necessidades mais prementes dos nossos concidadãos e a apostar num futuro de desenvolvimento, apesar das condicionantes provocadas pela guerra na Ucrânia».