Autoridade Tributária alerta para e-mail fraudulento sobre reembolso do IRS

Autoridade Tributária alerta para e-mail fraudulento sobre reembolso do IRS

05/04/2021 0 Por Carlos Joaquim

Correio eletrónico assinado por um “conciliador fiscal” deve ser ignorado e eliminado “de imediato”.

 Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) lançou, esta segunda-feira, um alerta para um esquema de obtenção ilegal de informação (phishing) através de um e-mail fraudulento relacionado com o processo de entrega e reembolso do IRS.

“Se recebeu um e-mail supostamente em nome da AT a solicitar dados dos seus cartões bancários para posterior reembolso, ignore. Trata-se de um e-mail fraudulento, pelo que deve eliminá-lo de imediato”, escreve a AT nas redes sociais.

Na imagem que acompanha o aviso, pode ver-se um e-mail, supostamente enviado pela própria AT, no qual é pedido ao utilizador que envie o “pedido de reembolso de impostos”, de forma a processá-lo “o mais rapidamente possível”.

Os contribuintes já submeteram mais de 900 mil declarações de IRS no portal das Finanças, decorridos cinco dias do prazo de três meses, até 30 de junho, para declarar ao Fisco os rendimentos de 2020, segundo estatísticas das Finanças.

Mesmo antes de começar o prazo de entrega da declaração de Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS), até às 24h00 de quarta-feira, o portal contava já com o registo de 198.399 declarações.

No dia do arranque oficial do prazo de entrega da declaração, na quinta-feira, a estatística do portal das Finanças registava 253.596 declarações antes da hora de almoço, número próximo do registado pelas Finanças em igual período do ano passado.

Ao início da noite de quinta-feira, o Ministério das Finanças informava que, até às 19h35, tinham sido entregues 458.420 declarações de IRS e, na sexta-feira, o portal mostrava 565.903 declarações de IRS submetidas.

Esta segunda-feira, depois de um fim de semana prolongado para celebrar a Páscoa, cerca das 12h30, o portal registava 905.119 declarações de IRS submetidas, tanto da primeira fase (759.903) em que contribuintes declaram rendimentos obtidos em 2020 de trabalho dependente e/ou de pensões, como da segunda fase em que declaram outras tipologias de rendimentos.

Lusa / TSF