ÚLTIMA HORA: As ideias-chave de António Costa sobre o Plano de Contingência

ÚLTIMA HORA: As ideias-chave de António Costa sobre o Plano de Contingência

10/09/2020 0 Por Carlos Joaquim

“Aumentos de ontem e hoje são significativos”

António Costa apresenta as conclusões do Conselho de Ministro e afirma que tem vindo a verificar-se uma “constante de aumento de novos casos” e não um crescimento exponencial.
O primeiro-ministro recorda o que foi dito antes do início do desconfinamento, deixando claro que era previsível o aumento de casos.
Portugal continua entre os países que mais testam. Recorde de testes diários registou-se a 8 de setembro
A capacidade de testagem é apontada pelo primeiro-ministro como um dos pontos fundamentais, nomeadamente para isolar contactos com pessoas infetadas. “Portugal continua a ser dos países com mais testes realizados”, sendo que já foram realizados mais de dois milhões de testes.
StayAway Covid é “totalmente segura”
Sobre a StayAway Covid, António Costa revelou que foram feitos 735.243 downloads até esta quinta-feira.
O primeiro-ministro assegurou que a aplicação é “totalmente segura” e esclareceu que as pessoas só serão alertadas por “novos casos de pessoas que nos últimos 14 dias tenham estado a menos de dois metros de distância e mais de 15 minutos”.
Governo assina protocolo para aumentar capacidade de testagem
O Governo assinou um protocolo com a Fundação Francisco Manuel dos Santos e o Instituto de Medicina Molecular para aumentar a capacidade de testagem, adianta o primeiro-ministro.
“Crescimento não se traduz na necessidade de internamento”
A evolução da gravidade da doença é também um dos pontos importantes para o Governo, sendo que muitas pessoas são assintomáticas e outras não precisam de internamento.
“97,6% das pessoas são pessoas que estando infetadas não têm necessidade de internamento hospitalar e muito menos em cuidados intensivos”, explica o primeiro-ministro.
Limitações nos ajuntamentos
“Ajuntamentos limitados a 10 pessoas e estabelecimentos comerciais só devem abrir a partir das 10h00 de forma a assegurar a diferenciação de horários e a circulação”, avança António Costa.
Novas medidas para todo o país:
– Ajuntamentos limitados a 10 pessoas;
– estabelecimentos comerciais não podem abrir antes das 10h;
– Horário de encerramento dos estabelecimentos entre 20h e 23h, por decisão das câmaras municipais;
– Limite de quatro pessoas por grupo nos espaços de restauração, “de forma a evitar grandes concentrações de pessoas”;
– Proibido venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h;
– Proibido consumo de bebidas na via pública
António Costa deixa claro que “as razões destas medidas não têm que ver com juízo moral contra a festa”. Trata-se de uma questão “estritamente de saúde pública”
Regresso às aulas em regime presencial com novas normas
– Readaptação do funcionamento das escolas à pandemia;
– Planos de contingência em todas as escolas;
– Distribuição de equipamentos de proteção individual;
– Referencial de atuação perante casos suspeito, caso positivo ou surtos.
Limite máximo de quatro pessoas nos estabelecimentos a 300 metros das escolas
O primeiro-ministro lembra que os ajuntamentos na escola, desde a cafetaria às entradas e saídas, devem ser evitados.
Assim, nos restaurantes, cafés e pastelarias a 300m das escolas, há um limite máximo de quatro pessoas por grupo, como vai acontecer nas áreas de restauração dos centros comerciais.
É preciso “reforçar os cuidados médicos” em lares de idosos
O primeiro-ministro não quis desvalorizar a atenção para os lares de idosos, mas referiu que “temos um número muito limitado de lares com surtos” e é preciso “evitar alarmismo”.
“Temos de reforçar os cuidados médicos existentes em casa lar”, esclareceu, frisando que foram criadas brigadas de emergência que possam agir “de forma rápida perante qualquer surto em lares para permitir diagnóstico precoce”.
“Há menos de 1% de lares com surto de Covid-19”
O primeiro-ministro adianta que das 90 mil pessoas a residir em lares temos 631 casos ativos.
“Dos 2500 lares há menos de 1% de lares com surto”, avança.
Estádios continuam fechados. “Comportamento no cinema é diferente do que temos no estádio de futebol”
António Costa revelou que os estádios de futebol vão manter-se sem público e esclarece que “todos sabemos que o nosso próprio comportamento no cinema, teatro ou espetáculo musical é diferente do que temos no estádio de futebol”.
Brigadas distritais de intervenção rápida para lares
Serão criadas brigadas distritais de intervenção rápida para
contenção e estabilização de surtos em lares, adianta o primeiro-ministro.

 

Medidas mais apertadas para Lisboa e Porto
O primeiro-ministro realça que a pandemia incide mais nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto e avança com a “necessidade de esforço acrescido” em transportes públicos e locais de trabalho.
– Manter medidas em matérias de teletrabalho;
– Desfasamento de horários obrigatório (horários em espelho) quando há necessidade de trabalho presencial;
– Horários diferenciados de entrada e saída;
– Horários diferenciados de pausas e refeições, momentos em que o risco de contágio aumenta;
– Redução de movimentos pendulares.
“Jogo não está ganho, a batalha continua”
“O controlo desta pandemia depende em primeiro e último lugar do comportamento individual”, reitera o primeiro-ministro, lembrando que “não podemos dar este jogo por ganho”.
“O jogo não está ganho, a batalha continua e depende única e exclusivamente de cada um de nós”, acrescenta.
Quais são as linhas vermelhas para apertar medidas?
António Costa adianta que as linhas vermelhas que podem levar a um eventual apertar das medidas prendem-se, sobretudo, com o “número de óbitos” e a capacidade de respostas dos “cuidados intensivos” e do “sistema hospitalar”.
“Não podemos voltar a fechar a economia como fechámos em março e abril”, adverte, apelando a que cada cidadão seja um fiscal de si próprio.
E os transportes?
As regras que existiam para os transportes mantêm-se, garante António Costa, mas o primeiro-ministro insiste na importância do “fator de diferenciação dos horários”
“Quando nós apelamos para o desfasamento nas empresas é para evitar aglomeração de pessoas nas mesmas horas nos transportes públicos”, sustenta.
Governo impede que Elefante Branco volte a encerrar às 4h00
Conselho de Ministros aprovou resolução fundamentada que impede a providência cautelar interposta pelo bar Elefante Branco para permitir que volte a encerrar às 4h00.
Restaurantes não podem aceitar grupos com mais de 10 pessoas
O primeiro-ministro adianta que os horários da restauração não sofrem alterações, mas não podem ser aceites grupos com mais de quatro pessoas.
Já nas restauração nos centros comerciais “não pode haver mais de quatro pessoas por grupo”, sustenta.
Inês André Figueiredo / Sara Beatriz Monteiro / TSF
Foto: Lusa