O irónico e trágico berço da filosofia

17/03/2020 0 Por Carlos Joaquim

Neste livro assistimos ao nascimento do que chamamos filosofia. A Guerra e Paz, Editores, publica hoje, dia 17 de Março, uma nova edição de Apologia de Sócrates de Platão, com introdução, notas e versão de Manuel S. Fonseca. Redescubra o valor da razão, o valor do pensamento, no discurso empolgante de um homem de 70 anos, sob o qual pesa uma acusação que pode ditar a sua condenação à morte. Um livro, tão urgente hoje quanto em 399 a. C., disponível nas livrarias de todo o país e preferencialmente, nos dias que correm, através do site da editora.

Dispensa apresentações, mas não dispensa novas leituras. Apologia de Sócrates de Platão, livro fundador da filosofia tal como a conhecemos no Ocidente, é de novo editado pela Guerra e Paz, numa edição organizada pelo editor Manuel S. Fonseca.

Uma obra fundamental, aqui adaptada para todos os leitores, que sustenta o valor da verdade, contra todos os relativismos e autoritarismos.

Não podia ter havido começo mais poético nem mais trágico para a filosofia:  em 399 a. C., os atenienses condenaram Sócrates, um cidadão com cerca de 70 anos, à morte por não prestar culto aos deuses da cidade, por questionar as tradições e por corromper a juventude com novas crenças.

Depois de discursar para os cidadãos de Atenas que hão-de votar a sua condenação, o condenado bebe uma taça de cicuta e discursa serenamente: com este estranho ritual, com estes gestos, se estabeleceu o começo da forma de pensar e argumentar a que chamamos filosofia.

Apologia de Sócrates chega hoje, dia 17 de Março, às livrarias de todo o país. O livro pode ainda ser adquirido através da loja online da Guerra e Paz, Editores.

Apologia de Sócrates

Platão

Introdução, notas e versão: Manuel S. Fonseca

Não-Ficção / Filosofia

96 páginas · 15×20,5 · 12,00 €

Nas livrarias a 17 de Março

Guerra e Paz, Editores