Comunicado do PSD de Figueiró dos Vinhos – Jan. 2020

Comunicado do PSD de Figueiró dos Vinhos – Jan. 2020

16/01/2020 0 Por Carlos Joaquim
Caro Amigo(a) Figueiroense,
No início de um novo ano o PSD deseja-lhe as maiores felicidades e votos de um excelente 2020 para si e família.
Passados dois anos deste mandato o Partido Social Democrata de Figueiró dos Vinhos entende acompanhar a crítica da maioria dos Figueiroenses acerca da prestação da Câmara PS em cinco sentimentos que todos facilmente reconhecerão:
1. DESILUSÃO: Em virtude das inúmeras promessas feitas e não cumpridas, do desenvolvimento e progresso apregoados desmentidos por um Concelho cada vez mais pobre, mais desertificado, sem emprego, sem espaço para os mais jovens e sem perspetivas de futuro. Desilusão, ainda, por não aceitarem a proposta do PSD para, em 2020, baixar a taxa de IRS para 3% e reduzir o IMI para 0,31%, a par das deduções do IMI familiar. Desilusão pelo falhanço na captação de investimento e no fiasco em atrair novas empresas que criem emprego e riqueza. Nos edifícios abandonados e nos parques industriais desertos, com pavilhões à venda. No encerramento de estabelecimentos comerciais nucleares e com tradição na vila e por arrasto nas restantes freguesias. Desilusão pelas promessas não cumpridas de que é exemplo os 20 milhões de euros de investimento, os 100 hectares de terreno e os 100 postos de trabalho da Lusiaves que nunca vieram. As Freguesias que atravessam grandes dificuldades não são apoiadas como merecem, não vêem reconhecido o inestimável serviço de proximidade que prestam junto das populações e ainda são penalizadas com a diminuição de verbas no orçamento de 2020.
2. PREOCUPAÇÃO: Pela contração de um empréstimo de 700 mil euros com o objetivo de fazer face às despesas do dia-a-dia e que constitui uma prova acabada do falhanço da gestão socialista no concelho. Pelos dados públicos, disponibilizados por entidades independentes, relativamente à gestão da Câmara Municipal. O Revisor Oficial de Contas refere que relativamente aos encargos assumidos pela câmara e não pagos no primeiro semestre de 2019 e a despesa já comprometida totaliza quase oito milhões de euros. O Conselho de Finanças Públicas escreve no seu Relatório 9/2019 que o maior agravamento, de pagamentos em atraso de todas as câmaras do país ocorreu na Câmara de Figueiró dos Vinhos com 1,4 milhões em atraso só no primeiro semestre de 2019. A IGF –Inspeção Geral de Finanças realizou uma auditoria à Câmara com resultados nada animadores para os seus responsáveis. Preocupação pelas notícias que dão conta da eventual deslocalização, para outro concelho, do serviço de distribuição postal dos CTT. Preocupação pelo aumento substancial do preço da água que vem, em 2020, penalizar ainda mais os Figueiroenses. Preocupação, ainda, por Figueiró dos Vinhos ser o último concelho do distrito de Leiria em termos de Poder de Compra e por esta política assente no entretenimento e nas festas que tem levado ao empobrecimento do concelho e dos Figueiroenses.