Sociedade | Polícia sinaleiro regressa a Castelo Branco 27 anos depois e causa surpresa nas ruas

17 de Setembro, 2019 0 Por Carlos Joaquim
A figura do polícia sinaleiro regressou a Castelo Branco 27 anos depois para coordenar o trânsito, numa iniciativa que surpreendeu os jovens condutores e peões, e que levou os mais velhos a aplaudiram e a recordarem esses tempos idos com saudade.
O relógio marca as 08:30 de segunda-feira, dia 16 de setembro, quando um carro patrulha do Comando Territorial da PSP de Castelo Branco estaciona junto a uma das zonas de maior tráfego rodoviário da cidade e na qual não existe qualquer sinalização luminosa.
O agente da PSP José Castanheira sai da viatura, vestido com o uniforme tradicional do polícia sinaleiro, e rapidamente assume posição no núcleo da via, bem no centro de Castelo Branco, onde o tráfego rodoviário já é intenso.
Falta apenas a peanha, uma base ou pedestal que coloca o agente num ponto mais elevado e que oferece maior visibilidade a condutores e peões.
Os gestos com as mãos são rápidos e devidamente coordenados com o recurso ao apito. Condutores e peões manifestam nos rostos um ar de surpresa, uns com um sorriso rasgado e outros com espanto.
Parado a observar os gestos frenéticos do polícia sinaleiro está João Barreto, de 84 anos: “Nunca o deviam ter tirado daqui. Não havia tantos embates [acidentes]. À ‘porra’ dos sinais, muita gente não lhes guarda respeito e, depois, pumba”.
Recorda os tempos em que o polícia sinaleiro era uma presença constante, no alto da peanha, que estava instalada junto às instalações da agência do Banco de Portugal em Castelo Branco.
“É o regresso à tradição, é bom. Nunca o deviam ter tirado dali, ao pé do Banco de Portugal”, reafirmou.
Já Eduardo Silva, um jovem de 18 anos, disse que foi a segunda vez que viu, ao vivo, o polícia sinaleiro a trabalhar.