Manhã de sábado: A vida de terror de Rachel, filha do líder mórmon

31 de Março, 2018 0 Por Carlos Joaquim
Logo Observador

Manhã de sábado

As principais notícias do dia
Bom dia!
Abusos sexuais, poligamia, casamentos com menores e pais separados dos filhos. Rachel Jeffs, filha do líder fundamentalista mórmon, descreve o que viveu na igreja sob a alçada de Warren Jeffs.
Esta medida deve afetar cerca de dez milhões de pessoas por ano que desejam obter um visto de turista ou que querem migrar para os Estados Unidos. Diplomatas não são afetados.
A lista dos responsáveis pelas 16 áreas do Conselho Estratégico Nacional do PSD será apresentada na próxima semana, mas há já nomes em cima da mesa dados como certos.
Em frente ao Coliseu, Francisco explicou que a vergonha com que olha Jesus deve-se à herança que a geração de hoje deixa aos jovens de amanhã: um mundo fraturado por guerras.
Carles Puigdemont afirmou através da plataforma da rede social Twitter que não irá desistir, nem renunciar ou retirar-se perante a “atuação ilegítima de quem perdeu nas urnas”.
No mundo da bola, acumula 408 jogos pelo FC Porto e vai ao Mundial 86. Fora dos relvados, é um apaixonado pelos desportos motorizados e vê as vitórias de Senna no Estoril de Mouton em Ponte de Lima
O Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira marca os 50 anos de “O Bandido da Luz Vermelha”, de Rogério Sganzerla. Falámos com a atriz Helena Ignez e o autor João Silvério Trevisan.
“O Marinheiro” é considerado um raro autorretrato do pintor, numa época em que temia ser preso pela Gestapo. Será leiloado pela Christie’s.
Uma chita entrou na viatura de um grupo de norte-americanos durante um safari no Serengueti. Ainda mal refeitos do susto, deram de caras com um segundo animal no carro. Mas tudo acabou bem. 
Comer/Ver/Fazer
Estes três restaurantes portugueses distinguidos pelo guia Michelin têm novidades para provar e o Observador foi conhecê-las. Saiba o que esperar das novas cartas de primavera/verão. 
Ioga, representação, jardinagem, pintura, experiências científicas. Estas são só algumas das formas de entreter as crianças nestas férias da Páscoa. 
“Ni No Kuni II: Revenant Kingdom” é a sequela do jogo criado entre o famoso estúdio Ghibli e a histórica Level-5, e que apaga a linha entre um bom filme de animação e um videojogo. 
É no último dia, este sábado, que o festival açoriano recebe Lone Taxidermist. Da maquilhagem à obra de arte total, conversámos com a performer britânica sobre látex e sobremesas. 
O Portugal Fashion rumou ao Porto. Na passerelle, Anabela Baldaque simplificou o próximo inverno, Júlio Torcato assinalou 30 anos de carreira e Estelita Mendonça tentou desvendar a moda do futuro. 
“Talvez esta seja a hora deste boy bazar para a terra prometida”, rima Slow J no primeiro álbum de Papillon, revelado esta semana. “Isto sou eu”, resume o rapper ao Observador. 
Produtos frescos e sazonais são o fio condutor da alta gastronomia praticada por André Magalhães na novíssima Taberna Fina. A irmã mais nova da Taberna da Rua das Flores veio para ficar. 
Entrevistámos o autor da série-fenómeno. Antes da estreia dos episódios finais na Netflix, o espanhol revela que “Breaking Bad” foi uma “grande influência”. Segunda temporada? “Ainda não sei bem.” 
Quando Jennifer Aniston disse que para se manter em forma praticava Budokon, muitos entendidos do fitness não sabiam o que era. O Budokon foi criado a partir do yoga e combina artes marciais. 
Opinião
Rui Ramos
O sermão policial do Porto não é a prova de uma qualquer invasão religiosa do Estado, mas, ao contrário, um sinal de como a ideia de religião ainda não recuperou da sua degradação laicista.
Manuel Villaverde Cabral
É de duvidar que a «geringonça» saiba equilibrar-se numa provável baixa da economia. Não haverá mais nada para ninguém. Aliás, já não há e daí a repetição do défice apesar dos baixos juros da dívida.
João Cândido da Silva
O défice público, descontado o efeito dos apoios à Caixa, baixou para 0,9%? Óptimo. O feito de Mário Centeno corresponde a um processo duradouro de consolidação orçamental? Veremos.
Maria José Castro
Testemunho de uma professora da Universidade do Algarve que descreve os males feitos nos terrenos daquela escola superior e também em todo o barrocal, onde se estão a dizimar majestosas alfarrobeiras.
Diana Soller
O caso Skripal, que tem levado os estados ocidentais a solidarizarem-se com Theresa May, é um limite que teria de ser imposto. A Rússia não pode pisar o risco impunemente sempre que lhe apetecer.
Mais pessoas vão gostar da 360º. Partilhe:

no Facebook no Twitter por e-mail

Leia as últimas

em observador.pt

©2017 Observador On Time, S.A.
Rua Luz Soriano, n. 67, Lisboa