Antes do Natal, ainda há um bom par de jogos para ver

22 de Dezembro, 2017 0 Por Carlos Joaquim

P

Aquecimento
  Jorge Miguel Matias  
Também o futebol pára durante o Natal. O campeonato nacional só regressará no início de 2018 (e logo com um Benfica-Sporting agendado para o dia 3 de Janeiro), embora Vitória de Guimarães e Tondela tenham antecipado o seu jogo da 16.ª jornada já para sábado. A II Liga também só estará de regresso no próximo ano (6 de Janeiro). Resta a Taça da Liga, que terá a sua última jornada da fase de grupos a 29 e 30 de Dezembro.
Mas, no resto da Europa, há ainda vários motivos de interesse antes do dia 25 de Dezembro. O maior dos quais é, sem dúvida, o embate entre Real Madrid e Barcelona, neste sábado, no Santiago Bernabéu. Uma partida que se jogará às 13h (12h de Lisboa) por causa do mercado asiático. As audiências do outro lado do mundo pesam tanto ou mais do que as espanholas e, por isso, o “clásico” será disputado quase à hora da siesta.
Actualmente separados por 11 pontos, embora os “merengues” tenham menos um jogo, o duelo entre Real Madrid e Barcelona, respectivamente quarto e primeiro da Liga espanhola, pode vir a ser decisivo na corrida ao título. Especialmente em caso de vitória dos catalães, que ficariam com uma confortável vantagem para gerir. Cristiano Ronaldo, que treinou à parte durante a semana, está apto para a partida e pronto para novo encontro com Messi, o actual melhor marcador da Liga espanhola, com 14 golos.
Em Inglaterra, antes do tradicional Boxing Day (a jornada que se disputa dia 26 de Dezembro), há mais uma ronda da Premier League que começa já nesta sexta-feira. E logo com um Arsenal-Liverpool (quinto contra o quarto), duas equipas que costumam marcar muitos golos (e sofrer muitos também). No sábado, o destaque vai para o Leicester City-Manchester United e para o Everton-Chelsea. Duas deslocações difíceis para dois candidatos ao título. O Watford, de Marco Silva, joga no campo do Brighton & Hove Albion, onde tentará colocar um ponto final à série de cinco jogos consecutivos sem triunfos. Já o Manchester City tem uma, teoricamente simples, recepção ao Bournemouth.
E será precisamente sobre os “citizens” que o Planisférico de sábado irá falar. Com apenas quatro títulos de campeão inglês no currículo, ficará a conhecer melhor a história da conquista dos dois que foram ganhos pelo “outro” emblema de Manchester antes da chegada do dinheiro de Abu Dhabi.
Com os campeonatos alemão e francês parados (o germânico por mais tempo devido à pausa de Inverno), há ainda a Liga italiana para se espreitar. Competitiva como há muitos anos não se via (os quatro primeiros estão separados por quatro pontos) o último jogo da 18.ª jornada, no sábado, será um Juventus-Roma. Segundo contra o quarto da Série A e um clássico dos mais antigos do futebol italiano. O líder Nápoles recebe o sexto (Sampdória) e há ainda um interessante Milan-Atalanta (oitavo frente ao sétimo).
À margem do futebol, uma nota para o râguebi. Sábado, CDUL e Valladolid lutam pela conquista da 37.ª edição da Taça Ibérica masculina, no Estádio Universitário, em Lisboa (13h). Uma prova que se disputa desde 1965 e qua na última edição foi ganha pelos espanhóis do El Salvador, que derrotaram o Direito. No total, as equipas espanholas somam 21 conquistas contra 16 portuguesas.
Para o fim, a sugestão de leitura da semana é a do texto publicado pelo jornal argentino La Nacion, onde se relata o calvário vivido pelo treinador Ariel Holan à frente do Independiente, depois de ter sido vítima de rapto e ameaças de morte por membros de uma claque do próprio clube. Apesar do pesadelo vivido ao longo dos últimos meses, Holan, adepto de coração do Independiente, conseguiu levar o clube à conquista da Taça Sul-americana de futebol. Mas dias depois, apresentou a sua demissão, por não estar disposto a conviver mais tempo com as ameaças a si e à sua família. No texto perceberá até que ponto as tentativas de extorsão de dinheiro chegaram, e perceberá a coragem de um homem que nunca se vergou.
O que talvez lhe tenha escapado no PÚBLICO
análise de Jorge Faustino ao actual momento do futebol português – e a sua relação conturbada com a arbitragem e o podcast Jogo Limpo, em que o mesmo autor analisa alguns dos lances mais polémicos da jornada.
podcast do Planisférico, onde se tentou encontrar uma nova “mascote” que substituta Freddy Adu…