NTERNACIONAL Milhares de pessoas manifestam-se pela unidade de Espanha

30/09/2017 0 Por Carlos Joaquim

Na Praça Urquinaona, milhares de pessoas exibindo a bandeira espanhola manifestam-se contra a realização do referendo pela independência da Catalunha

“Catalunha embrião de Espanha”,
 lê-se no cartaz de um unionista,
 em Barcelona. “Aqui cheira a Franco”, reage um apoiante da independência
FOTO LLUIS GENE/AFP/GETTY IMAGES
O referendo pela autodeterminação catalã, convocado para amanhã à revelia do governo espanhol, levou esta tarde milhares de pessoas à Praça da Urquinaona, numa grande manifestação a favor da unidade do país. Os manifestantes, que exibem maioritariamente bandeira de Espanha, mas também da Catalunha e da União Europeia, entoam palavras de ordem a favor da unidade do país e cantam ‘Trapero dimisión’, ‘Viva la Guardia Civil’, ‘Puigmont a prisión’ e incentivam os catalães a não irem votar amanhã “o referendo ilegal”.
Segundo o La Vanguardia, a praça de Sant Jaume de Barcelona também acolheu uma das manifestações organizadas pela La Fundación de Defensa de La Nación Espanhola (Denaes), em várias cidades do país vizinho. o jornal avança que estão concentradas na praça Sant Jaume 350 pessoas, que proclamam a unidade de Espanha e o Estado de direito contra o “processo de soberania catalão e o referendo”.
Na Praça Cibeles, em Madrid, 10 mil pessoas, segundo o Governo, manifestam-se também pela unidade de Espanha e a defesa do Estado de Direito.

RAJOY VAI ACOMPANHAR REFERENDO EM CONTACTO COM O REI

O presidente do governo espanhol irá acompanhar os acontecimentos na Catalunha no Palácio da Moncloa, onde estarão ainda a vive-presidente Soraya Sáenz de Santamaría, e o porta voz do governo Íñigo méndez de Vigo. Mariano Rajoy seguirá os acontecimentos de domingo em contato permanente com Filipe VI.
Em contagem decrescendo para o referendo que divide o país, Espanha enfrenta um dos seus maiores desafios dos últimos 35 anos, encontrando-se ainda 163 colégios ocupados dos 1300 que foram escolhidos para assembleias de voto, de forma a garantir a abertura das urnas amanhã às 8 horas.
Fonte: Expresso