360º – Hillary e Trump cada vez mais próximos. Como vão votar os (vários) americanos?

31 de Outubro, 2016 0 Por Carlos Joaquim

360º

Por Miguel Pinheiro, Diretor Executivo
Bom dia!
Enquanto dormia…
… Marques Mendes voltou a criticar o Governo por causa da Caixa Geral de Depósitos. Depois de, há uma semana, ter revelado que os gestores do banco estavam isentos de apresentar os seus rendimentos no Tribunal Constitucional, ontem a noite disse ter a certeza de que isso “não só foi intencional como tem uma certa perversidade”. Segundo o comentador da SIC, “o Governo colocou-se de cócoras perante um pedido que não podia nem devia ter sido aceite”.

Sérgio Monteiro vai ter mais três meses para vender o Novo Banco. O seu contrato foi estendido até janeiro, escreve o Negócios.

O Sp. de Braga venceu o Belenenses por 2-1 e, assim, ultrapassou o Sporting e ficou ao lado do FC Porto no campeonato. O Sporting está agora em quatro lugar, a um ponto do Vitória de Guimarães, que está em quinto.

Informação relevante

Já faltam poucos dias para as eleições americanas e a incerteza voltou. Uma nova sondagem põe Hillary Clinton à frente de Donald Trump – mas por apenas um ponto percentual. A democrata tem 46% e o republicano 45%.

As sondagens por estado também não deixam ninguém dormir descansado. A Carolina do Norte é importante para Hillary, e aí ela está à frente com 48% -43%. E a Florida é fundamental para Trump, e aí há uma ligeiríssima vantagem para a democrata com 45%-44%.

O regresso do “caso dos emails” não está a ajudar Hillary. O FBI reabriu a investigação a apenas uma semana da eleição e ninguém sabe que outras informações podem surgir nos próximos dias.

Homens, mulheres, brancos, negros, latinos… Como é que os (vários) americanos vão votar? É difícil responder, até porque há muitos americanos diferentes. De qualquer forma, o João de Almeida Dias (que foi quem fez a pergunta) foi olhar para os números e para as grandes tendências para tentar perceber o que aí vem.

Em Itália, mais um susto: depois do sismo de magnitude 6,6 que atingiu o centro de Itália na madrugada de domingo (as fotos são impressionantes), as escolas de Roma ficam hoje fechadaspara que as autoridades possam fazer uma avaliação dos danos causados pelo sismo.

A foto a preto e branco mostra dois miúdos muito concentrados, sentados, a olharem para uns papéis em cima de uma mesa. Um chama-se António Costa e é hoje primeiro-ministro. O outro chama-se Carlos César, é hoje o n.º 2 do PS – e fez 60 anos no domingo. Não podia haver melhor desculpa para uma entrevista de vida. Carlos César falou longamente com a Rita Tavares sobre política, sobre a família e sobre o dia em que o tentaram convencer a pintar madeixas brancas no cabelo por causa de umas eleições.

Ainda no PS, recorda-se um fundador: ontem morreu Bernardino Gomesum dos participantes na reunião de Bad Münstereifel, na Alemanha, onde foi decidido criar o Partido Socialista. Quando Mário Soares foi primeiro-ministro teve Bernardino Gomes como chefe de gabinete.

Mais uma entrevista no Observador que é relevante à esquerda: João Oliveira, líder parlamentar do PCP, falou com o Miguel Santos e marcou algumas linhas vermelhas em relação ao BE. Aqui está a frase: “Separa-nos um mundo de coisas do Bloco”.

Mário Nogueira tem sido acusado de andar desaparecido desde que a “geringonça” chegou ao poder. Mas o líder da Fenprof não aceita as críticas e decidiu responder com um artigo no site do sindicato. O título diz tudo (e mais alguma coisa): “A luta é a Fenprof que a determina, não os cretinos da direita”.

Hoje, em Brasília, António Costa vai aproveitar a cimeira da CPLP para propor que haja “liberdade de fixação de residência” entre os países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa. Marcelo Rebelo de Sousa acha a ideia “ambiciosa” e “difícil”.

No Observador há cinco artigos de opinião e colunas que tem mesmo de ler:

  • Vasco Pulido Valente: “Marcelo tinha muita curiosidade em conhecer Cuba e o assassino que os cubanos por lá conservam”.
  • Helena Matos: “Devidamente aglutinada nas esquerdas, a casta fez do controlo do Estado o seu objectivo e de um Estado controlador o seu programa. O resto é folclore e conversa”.
  • Alexandre Homem Cristo: “É oficial: o anunciado aumento orçamental de 3,1% na Educação é, afinal, um corte de 2,7%. O oposto. Há 15 dias, a falsa notícia fez as manchetes. Agora, alguém viu noticiado o corte? Eu também não”.
  • João Carlos Espada: “‘Estamos embaraçados com esta campanha e preferimos não ter de falar sobre os candidatos’: esta foi a comum resposta que ouvi de Republicanos e Democratas durante a Conferência Churchill em Washington”.
  • Djaimilia Pereira de Almeida: “Não há quem desapareça sem se sentir também mais ou menos culpado. Seja como for, torno-me impiedosa: encolerizo-me com menos de nada se algum obstáculo me impede de estar metida na minha vida”.

Os nossos Especiais

É uma profissão especial: eles limpam os sítios onde morreram pessoas. Para escrever esta reportagem, o Tiago Palma acompanhou uma empresa especializada em limpar o que ninguém quer limpar.

A proposta que surgiu na União Europeia de tornar o Interrail grátis para jovens até aos 18 anos levou o Tiago Carrasco a falar com vários portugueses que andaram de comboio “a descobrir a Europa, o amor e o sentido da vida enquanto comiam latas de atum”. São histórias que mudaram as vidas deles.

Notícias surpreendentes


No Museu Soares dos Reis está a recriar-se a primeira (e última, e única) exposição de Amadeo de Souza-Cardoso no Porto. Na altura, o modernista até foi agredido (e houve quem cuspisse nas obras). Agora, não há o risco de tanta incompreensão. A seguir, tal como aconteceu em 1916, a exposição vai para Lisboa.

Para o The Guardian, Lisboa pode ser a próxima capital tecnológica da Europa. O jornal inglês escreve que a cidade está a “reinventar-se para ser a líder dos centros tecnológicos da Europa”.

31 concertos ao longo de um ano – uma das digressões de maior sucesso de sempre em Portugal. Miguel Araújo e António Zambujo andaram pelo país todo a dar concertos e agora, no fim, a Rita Cipriano esteve com eles nos bastidores para ver como tudo se faz.

Já sabe como é a frase: “Tenha medo. Tenha muito medo”. Como hoje é dia de Halloween, o Observador fez a lista dos vinte filmes mais aterrorizadores dos últimos anos. Veja lá se tem coragem de percorrer a nossa fotogaleria.

E, depois, já sabe: volte ao Observador para ler todas as novidades.

Até já!

Mais pessoas vão gostar da 360º. Partilhe:

no Facebook no Twitter por e-mail

Leia as últimas

em observador.pt

Observador

©2016 Observador On Time, S.A.
Rua Luz Soriano, n. 67, Lisboa
_______________________________________