CLIENTES DO BES TERÃO SIDO ENGANADOS EM MAIS DE 10 MIL MILHÕES DE EUROS

30 de Abril, 2016 0 Por Carlos Joaquim


30 Abril, 2016 por 

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES
O Grupo Espírito Santo terá beneficiado de um esquema de financiamento fraudulento num processo que terá passado pela sociedade suíça Eurofin e que envolve clientes do BES que terão sido enganados em 10 mil milhões de euros.
Este processo está a ser investigado pelo Ministério Público (MP) e o Observador teve acesso a dados do inquérito, revelando que as autoridades já contaram mais de 10 mil milhões de euros desta alegada fraude.
Em causa está a subscrição de aplicações financeiras de alto risco que terão sido “vendidas” aos clientes do BES comoprodutos de rentabilidade garantida, como se meros depósitos a prazo se tratassem. Na realidade, eram “títulos de dívida de diversas sociedades do Grupo Espírito Santo (GES)”, frisa o Observador.
Eurofin, sociedade gerida por “pessoas próximas de Ricardo Salgado”, conforme nota a publicação, é apontada como figura central neste alegado esquema que terá sido posto em prática entre Janeiro de 2011 e Abril de 2014.
O MP terá recolhido indícios de que os clientes do BES terão sido enganados com o objectivo de financiar ilicitamente o GES, mas que o próprio BES terá também sido lesado, não tendo recebido qualquer retorno financeiro.
As mais-valias obtidas com os produtos financeiros subscritos terão chegado a valores da ordem dos 800 milhões de euros e terão beneficiado sociedades do GES, através de contas bancárias domiciliadas em Londres, Ilhas Caimão e Luxemburgo.
O alegado esquema terá contado com o contributo de “altos quadros do GES e do BES” e o objectivo principal seria ocultar o passivo das holdings do grupo – respectivamente, a Espírito Santo Internacional (ESI), a Espírito Santo Control, a Espírito Santo Financial Group (ESFG) e a Rio Forte que ficaram sob gestão judicial em 2014, depois de terem entrado em processo de insolvência.
O Observador nota que o passivo destas sociedades terá passado de valores da ordem dos 180 milhões de euros, em 2008, para cerca de 1,4 mil milhões de euros em 2012. Antes da insolvência, o valor, devidamente rectificado, chegou aos 4,7 mil milhões de euros.
Entretanto, o Correio da Manhã revela a lista dos principais devedores do BES, notando que “21 devem 6,6 mil milhões” ao Banco e que Luís Filipe Vieira e o Benfica têm uma “dívida superior a 600 milhões”.
ZAP